fbpx

|Sampel – Saiba como identificar nossos produtos

Nossa linha SAMPEL consiste nos seguintes produtos:

– Bandeja da Suspensão
– Batentes
– Bieletas
– Buchas
– Suporte de Motor
– Suporte de Câmbio
– Suporte do Amortecedor
– Suporte do Escapamento

Identificação dos Produtos:

Em todos os itens, você encontrará a identificação da Sampel, que pode ser:
– Nome ou Logotipo: “S – Sampel” gravado diretamente na peça.
– Identificação presente no metal ou alumínio dos suportes de motor e câmbio.
– Cada produto tem um símbolo específico (S) em seu molde, garantindo autenticidade e qualidade.

Sempre verifique essas características para assegurar que você está adquirindo produtos originais da Sampel.

Nossa linha SAMKIT consiste nos seguintes produtos:

– Bieleta
– Kit da Barra Estabilizadora
– Kit da Caixa de Direção
– Kit da Junta Homocinética
– Kit do Amortecedor

Detalhes da Identificação

– Suporte do Motor: Presente no kit do amortecedor, que inclui coifa e batente.
– Kit da Barra Estabilizadora: Identificação nas buchas de borracha.
– Bieleta: Identificação na haste.

Para garantir a cobertura da marca SAMKIT, é necessário entregar os kits completos para que a troca ou garantia seja realizada.

Confira abaixo nossas embalagens: Sampel, Samkit e Sampremium

Todos os nossos produtos são embalados e identificados.
Em caso de dúvidas, consulte nosso catálogo online, que não necessita de instalação.

1. Catálogo Online: Digite o código do produto ou o código de barras.
https://catalogo.sampel.com.br/

2. Contato: Se não encontrar o produto consultado, entre em contato imediatamente.

As embalagens e identificações garantem que você está adquirindo produtos originais e de alta qualidade da Sampel.

Benefícios

1. Nossos produtos são fabricados internamente, garantindo controle rigoroso de qualidade e durabilidade.

2. Com o nome ou logotipo “S – Sampel” em cada peça, é fácil identificar a autenticidade dos nossos produtos.

3. Produtos projetados para oferecer alto desempenho, garantindo segurança e eficiência nos veículos.

4. Oferecemos uma ampla gama de produtos para atender diversas necessidades, desde buchas de suspensão até suportes de motor e câmbio.

5. Investimos em tecnologia e inovação para desenvolver soluções que atendam às demandas do mercado automotivo.

6. O símbolo de identificação nos moldes assegura que os produtos são fabricados por nós, mantendo a confiabilidade e a confiança dos clientes.

O que é garantia para a fábrica?

Garantia da fábrica cobre defeitos/vícios de fabricação em peças, dentro dos prazos estabelecidos. Comprovação necessária via cupom fiscal, sem danos por uso inadequado. Contate o distribuidor para instruções.

O que não é garantia para a fábrica?
Peças com violação ou dano por uso inadequado não têm garantia de fábrica.

Termo de Garantia Sampel:
Todos os produtos Sampel têm garantia de 12 meses contra defeitos de fabricação a partir da data de compra. A garantia cobre problemas de fabricação que impeçam o uso ou reduzam a vida útil do produto. Não há garantia para erros de instalação ou uso inadequado. Consulte nosso catálogo de aplicação para obter informações precisas.

Solicitação de garantia
O cliente informa o problema ao mecânico, que informa à loja de autopeças.
A loja relata o problema ao distribuidor, que solicita a garantia à fábrica, faz o laudo e acompanha o processo até o retorno para todos os envolvidos.

Para solicitar uma garantia, é necessário ter a nota fiscal de compra do produto, nota fiscal ou cupom de venda para o cliente final, fotos ou vídeo do produto e uma explicação detalhada do problema. O processo de garantia tem uma média de 30 dias sem análise física do produto e cerca de 60 dias com análise.

Produtos das marcas Sampel, Samkit e Sampremium passam por visita técnica dos consultores regionais. Eles avaliarão os produtos, notas fiscais e o problema para verificar a procedência da garantia. Em caso de dúvidas, entre em contato com nosso SAC pelo telefone 08000 191404 ou via WhatsApp pelo número (11) 97665-5715.

|Coxim do escapamento: Para que serve o suporte bucha?

O coxim do escapamento também é conhecido por outros nomes como suporte ou bucha. Essa peça reduz vibrações e barulhos, contribuindo para uma melhor exaustão.

Os coxins dos escapamentos são itens de metal e borracha fixados ao sistema exaustor. Graças a esses componentes é possível trafegar sem as trepidações no assoalho.

Quando trocar o coxim do escapamento?

Como regra geral de manutenção preventiva, o coxim do escapamento deve ser trocado uma vez a cada 6 meses. Não tomar essa medida de prevenção facilita o estouro que gera outros problemas mecânicos.

Fique com os olhos atentos. Se o carro precisa abastecer muito além do normal, pode ser um consumo extra pelo escapamento irregular com coxins estourados.

As fortes trepidações são sinais de desgaste muito avançado no coxim. Elas revelam que há um forte e perigoso atrito no chassi.

O veículo aquece por causa dos coxins do escapamento danificados?

Se o coxim está ruim, um escapamento fica mais solto, com a distância errada do solo, o que impede uma saída adequada dos gases e aquece o assoalho.

Não é mito, danos ou estouros de coxins aquecem o assoalho. Isso contribui para a necessidade de ligar o ar-condicionado para evitar um calor excessivo.

Um simples coxim do escapamento ruim esquenta o automóvel ao ponto de até prejudicar o motor, cujos reparos custam caro nas retíficas.

O que fazer para desgastar menos o coxim do escapamento?

Os cuidados para conservar coxins são iguais às cautelas que um condutor precisa para preservar o escapamento. Por exemplo:

  • Abastecer o combustível sempre em postos de confiança, pois gasolina adulterada corrói os componentes do escapamento;
  • Atenção ao passar por quebra-molas ou buracos na pista;
  • Estar com a manutenção do escapamento sempre em dia;
  • Nunca tentar ligar no tranco. Essa prática danifica o catalisador e o coxim;
  • Não deixar o carro parado na garagem por muito tempo para evitar a concentração de umidade no sistema de exaustão;
  • Trocar sempre o componente desgastado por uma peça original do carro.

Cuidado com as multas!

Segundo o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) um resultado de trafegar com escapamento desregulado é a multa.

O proprietário é multado se o agente de trânsito perceber que um escapamento está solto, pela falta de coxins em perfeito estado.

A justificativa da multa é que coxins defeituosos fazem o escapamento não diminuir a emissão dos gases tóxicos corretamente, algo ruim ao meio-ambiente.

Qual a melhor marca de coxim do escapamento?

Quando se trata de coxim do escapamento ou outros itens veiculares com metal/borracha, uma marca brasileira é imbatível.

É a Sampel Peças Automotivas, reconhecida dentro e fora do Brasil em virtude das produções de excelente procedência, com uma efetiva logística e um atencioso atendimento pós-compra.

Acesse o site da Sampel e encontre as melhores promoções de coxim do escapamento para diversos modelos.
Consulte nosso catálogo online — www.catalogoonline.com.br 

|Coxim do câmbio: O que é? Como identificar defeitos?

O coxim do câmbio (também chamado de suporte do câmbio ou suporte superior da caixa de marcha) auxilia para reduzir as vibrações e os barulhos no câmbio.

Se esse coxim está defeituoso o câmbio começa a tremer com muita força. Desconforto, ruídos e trepidações ao longo do deslocamento são indícios de desgaste desse componente.

O problema de câmbio mole, com excesso de tremidas ou vibrações pode ser resolvido após a troca do coxim.

Como saber se o coxim do câmbio está ruim?

Com a utilização ao longo do tempo essa e outras peças mecânicas sofrem um desgaste. Após milhares de quilômetros surgem rachaduras ou ressecamentos que diminuem a capacidade de trabalho do coxim.

Abaixo veja quais são os principais sinais de coxim do câmbio com falhas:

  • Barulho alto no motor em cada arrancada;
  • Dificuldades para mudar de uma marcha para a outra;
  • Muitas balançadas no câmbio em freadas ou arrancadas;
  • Rompimento da junta homocinética do câmbio;
  • Vibração excessiva na manopla.

É recomendada uma visita ao mecânico de confiança se você perceber esses sinais, do contrário o desgaste fica pior, aumentando o desconforto, as vibrações e o ruído.

Quando trocar o coxim de câmbio?

Em geral as trocas acontecem a cada 3 anos ou sempre que o carro atingir 30 mil quilômetros. Porém, a necessidade de substituição depende da habilidade do condutor em dirigir perfeitamente.

Passar em alta velocidade por buracos ou lombadas, pisar fundo no acelerador ao dar a partida e o costume da condição agressiva – esses são típicos comportamentos de motoristas que desgastam rápido o coxim.

Como conservar o coxim do câmbio?

Um primeiro conselho é conservar a originalidade do veículo, conforme os padrões projetados pela montadora. Isso também ao considerar a compra do kit de suspensão, evitando os modelos esportivos para carros rebaixados.

Dessa forma não apenas o coxim como outros itens do automóvel podem durar muito mais tempo.

Não acelerar com força em saídas inclinadas é mais um segredo para uma melhor conservação. Nunca pise fundo no acelerador ao partir para inclinações como por exemplo:

  • Aclives;
  • Lombadas;
  • Rampas de estacionamento.

Outro ponto é dirigir de acordo com as condições da pista. Assim, se a rua estiver muito esburacada mantenha o cuidado nas acelerações.

Do que é feito o coxim do câmbio?

Esse componente automotivo tem liga metálica, vinil e borracha. Em veículos importados há uma tendência de o coxim ser composto por materiais adicionais para eliminar a trepidação completamente.

Pelas tecnologias avançadas das peças personalizadas, você deve esperar que os preços de coxins dos veículos importados potentes ou grandes sejam caros, se comparar com as ofertas para carros populares.

Um mito que estraga os coxins

Muitas pessoas pensam que ao passar na diagonal sobre os obstáculos é possível conservar o coxim do câmbio e outras peças automotivas.

Esse comportamento na verdade é ruim porque provoca um esforço extra, em consequência das altas cargas de torção com o carro na diagonal, prejudicando a vida útil dos coxins.

Qual a melhor marca de coxim do câmbio?

Referência mundial em produtos automotivos de metal / borracha, a Sampel é uma marca brasileira que fabrica os melhores coxins para câmbio.

Ao investir em tecnologia de última geração e mão-de-obra humana qualificada, a marca se destaca na produção padronizada de coxins para carros nacionais ou importados.

No site Sampel você consegue baixar o catálogo completo para conferir a compatibilidade dos tipos de coxim do câmbio disponíveis ao seu modelo de automóvel. É a maior variedade no mercado!

Catálogo online – clique aqui

|Coxim do motor: Para que serve? O que causa quebra?

Afinal, quais os tipos de coxins? Existe coxim do motor, escapamento, amortecedor e sistema de suspensão.

Um movimento incomum do carro faz até motoristas experientes pensarem que é problema na suspensão. Porém, o desgaste no coxim de motor pode ser uma razão para os ruídos.

Quando se fala em coxim um pensamento comum é associar ao amortecedor. Mas, esse tipo de peça também apoia o motor, responsável por impedir que ele se choque com outras partes do veículo em funcionamento.

O que é coxim do motor?

É o coxim que auxilia no conforto acústico ao reduzir a vibração do motor, evitando as trepidações após ligar ou movimentar o carro.

Esse coxim tem como missão diminuir as vibrações no motor. O componente é feito de borracha, metal, vinil ou uma mistura entre os materiais.

Conhecido como suporte do motor, esse coxim está presente em pontos estratégicos. Isso para intermediar um apoio entre a lataria e o motor.

O que desgasta ou quebra o coxim do motor?

Com o tempo um coxim sofre desgastes normais. Contudo, alguns hábitos reduzem a vida útil:

  • Acelerar com força em inclinações como lombadas, ladeiras, rampas de estacionamento, entre outros obstáculos;
  • Forçar a aceleração em ruas com muitos buracos;
  • Rebaixar a suspensão;
  • Trafegar em pistas de difícil locomoção.

Como identificar quebra no coxim do motor?

Sem um coxim no motor não é possível dirigir normalmente. Logo os proprietários percebem alguns dos principais sintomas de quebras como:

  • Defeitos no câmbio;
  • Dificuldade para engatar as marchas;
  • Excesso de vibração no câmbio ao frear ou sair com o carro;
  • Ruídos altos em arrancadas;
  • Vibrações incomuns no motor com automóvel ligado ou parado.

Quando verificar o coxim do motor? Aos primeiros sinais de problema o motorista deve seguir até uma oficina mecânica para a verificação. Outra possibilidade é parar e chamar um guincho que leva o veículo ao mecânico.

Quando substituir o coxim do motor?

É necessário trocar os coxins dos motores a cada 36 meses ou 40 mil quilômetros rodados.

As condições na peça mostram se existe a necessidade da troca. Ela não pode estar rachada ou ressecada.

Ao identificar coxins rachados e ressecados o conselho é trocar rápido. Isso para o motor não perder a capacidade de funcionar bem por causa das fortes trepidações.

O que acontece se o coxim quebrar?

Os efeitos colaterais variam de acordo com o modelo de carro. Em alguns automóveis essa quebra solta um pouco o motor e desgasta mais outros coxins.

Nas condições de coxim do motor quebrado, um motorista que tem costume de pisar fundo no pedal pode quebrar os demais coxins.

Dica de ouro

Para reduzir a velocidade ao passar em buracos, lombadas ou outros obstáculos, em vez de ficar com o pé no freio é melhor diminuir o ritmo e depois tirar, antes de fazer a passagem.

Com essa dica de ouro, não só os coxins sofrem menos desgastes como há um menor gasto para a mecânica do automotivo em geral.

Qual a melhor marca de coxim do motor?

A Sampel é uma fabricante de coxins do motor, com itens automotivos presentes em todo o Brasil e dentro de vários outros países.

Todos os produtos da marca seguem um padrão de exportação que certifica a longa durabilidade e preserva a originalidade dos veículos. Saiba mais no site.

|Bucha da suspensão: Para que serve? Quando trocar?

Bucha da suspensão é um componente automotivo que reduz os ruídos na suspensão. Ela também funciona para diminuir a transferência das vibrações de uma peça para a outra no carro.

Essas buchas ficam nas duas extremidades das articulações de uma suspensão, nos lados traseiro e dianteiro. São montadas em pontos estratégicos no veículo para trabalharem em sintonia com a suspensão.

Quando trocar a bucha da suspensão?

O excesso de ruídos na parte dianteira ou traseira da suspensão tem algumas explicações. Uma delas é o desgaste nas buchas, que exige a troca imediata para não estragar as outras peças e atrapalhar a direção segura.

Os principais sintomas de problemas na bucha da suspensão são:

  • Desconforto no pedal do freio;
  • Menos estabilidade;
  • Rangidos na suspensão;
  • Barulhos ao trafegar por lombadas ou buracos;
  • Consumo de combustível acima do normal;
  • Descontrole nas curvas e retas.

Com buchas irregulares há desconforto para pisar e controlar o pedal de freio. Após a frenagem, em vez de seguir na linha reta o carro se desloca para os cantos.

Se a bucha não ser verificada surgem outros sintomas como desgaste rápido em caixa de direção, pneus e sistema de suspensão.

O resultado de não verificar a bucha é mais gasto com reparos no futuro e um longo tempo de veículo parado na oficina, para a manutenção corretiva.

Mesmo sem notar sinais de defeitos, os proprietários necessitam verificar a bucha de suspensão. A manutenção preventiva é a cada 10 mil quilômetros rodados ou 6 meses.

Como verificar a bucha da suspensão?

Como ocorre com todos os apetrechos que precisam se mover para fazer o carro funcionar, as buchas de suspensão sofrem desgaste por uso.

Após subir o veículo em um elevador, o mecânico balança as rodas na horizontal para identificar se há sobras, tanto no lado da frente como de trás. Isso é, as buchas não podem mexer no espaço de maneira excessiva.

Depois, com uma espátula apropriada, existe a verificação das buchas na própria suspensão. A presença de folgas mostra a necessidade de substituir o quanto antes.

O espaço sobrando quer dizer que as buchas estão ressecadas, ruins para uma direção segura. O ressecamento pode trincar ou desprender a borracha.

As buchas em perfeitas condições são obrigatórias, livres de:

  • Cortes;
  • Rachaduras;
  • Ressecamento;
  • Manchas de óleo.

Não escolha uma oferta com preços baixos e péssima qualidade, isso desqualifica os resultados no trabalho do mecânico. Compre buchas de excelente procedência, dos fabricantes confiáveis.

Aprenda no vídeo abaixo quais os principais tipos de buchas de suspensão:

Bucha desgastada danifica a bandeja de suspensão?

Todos os componentes da suspensão desgastam rápido por causa de deficiências na bucha.

Ao avaliar as buchas de suspensão, o mecânico experiente também busca saber se a bandeja está danificada. Em caso de danos, não tem jeito, vai ser necessário também providenciar a troca da bandeja e o valor do serviço aumenta no final das contas.

Se a bandeja estiver perfeita só é preciso substituir a bucha defeituosa ou os outros itens da suspensão que estão com falhas.

Qual o melhor fabricante de buchas de suspensão?

Na fabricação das buchas de suspensão a marca líder no Brasil se chama Sampel.

Essa fabricante nacional tem um avançado laboratório industrial de ponta, com máquinas modernas que garantem o elevado padrão de qualidade em cada bucha que sai da fábrica.

Veja no site Sampel as melhores buchas de suspensão compatíveis com o seu automóvel nacional ou importado.

|Bieleta da barra estabilizadora: Para que serve? Quais são os defeitos?

A bieleta da barra estabilizadora é uma peça de metal que serve para conectar na suspensão do veículo a barra estabilizadora. Graças ao componente, um carro tem melhor estabilidade e garante as condições da dirigibilidade para os condutores.

Durante a realização das curvas, a bieleta é responsável por manter a estabilidade e o contato do pneu com o solo. Para alguns especialistas, essa peça se tem problemas está entre as principais culpadas por barulhos no automóvel.

Como identificar defeitos na bieleta da barra estabilizadora?

Sabe o som que faz na direção de alguns veículos? Às vezes essa é uma das indicações para revisar o automóvel e saber se necessita trocar a bieleta.

Algumas sujeiras de estradas desgastam a bieleta. Exemplos: Areia, lama e pedras.

Os mecânicos experientes reconhecem esses sintomas para defeitos na bieleta da barra estabilizadora:

  • Direção barulhenta;
  • Falta de equilíbrio no controle do carro;
  • Ruídos altos na suspensão.

O ruído das falhas na bieleta pode confundir por ser semelhante aos sons de outros itens defeituosos: Terminal, pivô, bandeja de suspensão, caixa de direção e coxim do amortecedor, por exemplo.

Em muitos casos, o som da bieleta defeituosa gera uma sensação de que algo está solto no porta-malas ou na carroceria. Um outro indício é a inclinação exagerada do automóvel nas curvas.

Para identificar os desgastes na própria peça o mecânico precisa observar pontos como:

  • Péssimas condições na coifa, bucha e haste;
  • Excesso de folgas em coifa, bucha e haste;
  • Haste empenada;
  • Haste quebrada;
  • Haste torta.

Para que serve a coifa?

Para proteger os pinos elétricos das pontas existe a coifa de borracha, que se rompida pode desgastar a bieleta. Isso explica a necessidade de estar em dia com a revisão periódica do sistema de suspensão.

Como ocorrem os problemas de fixação da bieleta?

O som alto de choques metálicos no carro pode ser do envelhecimento ou da folga de porcas e buchas.

Por outro lado, o aperto muito exagerado quebra a bieleta. Os mecânicos experientes utilizam trava química que protege contra esse estrago. Assim a resina ocupa o espaço das folgas para uma fixação perfeita sem apertar com muita força.

Como deforma a bieleta da barra estabilizadora?

Ao deformar, a bieleta pode se romper e causar o estouro dos pneus. Essa deformação tem como causa a péssima qualidade do fabricante ou o longo tempo de uso sem revisão. A instabilidade no controle é um resultado da peça deformada.

Quando trocar a bieleta da barra estabilizadora?

A recomendação da grande parte dos fabricantes é verificar a bieleta sempre que atingir 10 mil km rodados, semestralmente ou ao perceber os sinais de problemas.

É importante a troca imediata ao identificar uma bieleta com deficiência. Isso porque a utilização irregular resulta em prejuízos como:

  • Barulhos altos no veículo;
  • Consumo de gasolina acima da média;
  • Gasto rápido de outras peças que formam o sistema de suspensão;
  • Instabilidade e desequilíbrio na direção;
  • Irregularidade no gasto dos pneus.

Como instalar a bieleta da barra estabilizadora corretamente?

É melhor contratar um mecânico especialista para prestar esse serviço detalhista, com perfeição.

Um primeiro ponto a observar é que, embora as bieletas sejam semelhantes no formato, cada carro tem uma técnica diferente para a instalação. Há diferenças em ângulos de encaixe, fixação, tamanho, entre outros pontos.

Normalmente os mecânicos não usam uma máquina pneumática para o aperto do componente, mas sim alguma chave apropriada.

Qual a função da bucha na barra estabilizadora?

Nas pontas da barra estabilizadora existem as buchas. Se elas têm falhas devem ser substituídas, o quanto antes.

Ou seja, algumas vezes para corrigir o defeito só é preciso trocar a bucha, o que sai mais barato do que substituir a barra estabilizadora ou a bieleta.

Um sintoma do desgaste das buchas é o som afiado de atrito de ferro, após passar por uma lombada ou algum buraco na pista.

Qual a melhor bieleta?

A marca brasileira de bieleta da barra estabilizadora campeã se chama Sampel. Esse fornecedor é especialista em itens de metal / borracha para sistemas de suspensão de diversos modelos automotivos do mercado.

É uma marca brasileira de muita confiança que exporta bieleta da barra estabilizadora para dezenas de países. Descubra mais no site oficial Sampel.

|Coxim do amortecedor: O que é? Para que serve?

Coxim do amortecedor é uma peça para apoiar os amortecedores sobre o monobloco do veículo e absorver ruídos, vibrações ou choques na suspensão.

É útil para suportar o peso do carro nas arrancadas, curvas e frenagens. Também sustenta a força rotacional dos movimentos nos volantes.

Em geral, os coxins de amortecedores são compostos por metal e revestimento de borracha. É um dos importantes integrantes do sistema de suspensão para garantir mais:

  • Vida útil de outras partes do carro;
  • Estabilidade na direção;
  • Conforto para motoristas e passageiros.

Qual a diferença entre coxim e batente?

É comum confundir as duas opções. Os batentes evitam o barulho no curso final do amortecedor. Já um coxim tem como missão impedir que as trepidações alcancem a carroceria e o volante.

Como saber se o coxim do amortecedor está com problema?

Normalmente apenas o mecânico experiente identifica rápido um defeito, porque os sinais não são muito evidentes e podem ser confundidos com outros problemas.

Às vezes os primeiros sintomas de coxins desgastados são ruídos na suspensão. Ao identificar um padrão repetitivo é possível reconhecer a irregularidade na peça. Entre principais indícios estão:

  • Barulho na cabine;
  • Desconforto ao guiar;
  • Fortes barulhos ao passar por pistas irregulares;
  • Gasto desigual dos pneus;
  • Instabilidade na direção;
  • Mais consumo de combustível do que o normal;
  • Ruídos na suspensão;
  • Vibração excessiva.

Por que usar coxim do amortecedor em perfeito estado?

Em primeiro lugar está a segurança. Se essa peça funciona com qualidade, o carro ganha conforto e estabilidade para um motorista dirigir de maneira segura.

Outro razão é a economia. Com um coxim em plenas condições de uso há menos:

  • Desperdício de combustível;
  • Desgaste irregular de pneus e peças;
  • Necessidade de manutenção dos componentes que integram o sistema de suspensão.

O coxim desgastado não protege um amortecedor que pode quebrar e produzir afiados ruídos de raspagem, aumentando a intensidade das vibrações no veículo que chegam com força ao volante.

Quanto tempo dura um coxim de amortecedor?

Mesmo com todos os cuidados de um condutor experiente, após algum tempo de uso vai existir certo desgaste.

É essencial revisar para checar as condições dos coxins sempre ao atingir 10 mil quilômetros. O valor a pagar depende da qualidade na peça nova, do modelo automotivo e serviço mecânico.

Jamais deixe de avaliar o coxim do amortecedor para se precaver dos impactos negativos que podem resultar em danos no automóvel ou acidentes sérios.

O coxim precisa dispor de um rolamento que garante o movimento da direção e uma potência necessária ao amortecimento – esses requisitos são avaliados na verificação periódica.

Como conservar o coxim do amortecedor?

Um primeiro ponto é a manutenção preventiva. Alguns cuidados na condução são fundamentais para conservar o componente:

  • Evitar lombadas, valetas ou buracos na pista com o automóvel em alta velocidade para escapar dos trancos prejudiciais para a suspensão;
  • Nunca arrancar ou frear com muita força;
  • Mudar a velocidade de modo progressivo;
  • Não alterar altura ou suspensão do veículo;
  • Verificar as condições do coxim em cada 10 mil km.

Como trocar o coxim do amortecedor?

Quem não conhece muito a teoria e prática do assunto deve contratar um mecânico de confiança para executar o serviço. Veja como são as etapas da troca de coxim nas oficinas mecânicas:

  1. Elevar o veículo no elevador;
  2. Retirar as rodas dianteiras;
  3. Tirar a suspensão;
  4. Usar um encolhedor para comprimir a mola de suspensão;
  5. Retirar a porca da haste do amortecedor;
  6. Inserir o novo coxim;
  7. Parafusar os itens de fixação;
  8. Com cuidado soltar o encolhedor;
  9. Remontar a suspensão;
  10. Recolocar as rodas;
  11. Abaixar o veículo no elevador.

Qual a melhor marca de coxim do amortecedor?

É preciso cuidado para não escolher uma peça com qualidade baixa, que tem vida útil menor e apresenta defeitos rapidamente.

Sampel é o nome da melhor marca de coxim do amortecedor. Esse fornecedor brasileiro tem credibilidade, compromisso e qualidade acima da média que garante uma melhor performance. A empresa oferece garantia nos produtos. Há um excelente atendimento em todo o processo de compra.

Veja como funciona a fabricação automatizada de coxim do amortecedor Sampel:

Conheça outras informações no site a respeito do sistema de suspensão automotiva.

|Para que serve a bandeja de suspensão?

Braço oscilante ou bandeja de suspensão é o nome do subconjunto que trabalha com um sistema de suspensão. Mas, para que serve a bandeja de suspensão realmente?

Esse componente liga a roda ao chassi. A bandeja é útil para garantir a segurança, o conforto e os níveis de estabilidade do automóvel.

Para entender melhor a funcionalidade da bandeja de suspensão veja a lista abaixo:

  • Alinhar as rodas;
  • Controlar rodas em frenagens e acelerações bruscas;
  • Ligar a roda ao chassi;
  • Possibilitar movimentações verticais da suspensão;
  • Sustentar a força lateral nas curvas.

Quais os resultados do desgaste da bandeja de suspensão?

A bandeja da suspensão do carro fica próxima ao solo. É um dos objetos que recebe o choque por causa do impacto no conjunto de pneu-roda junto com o pivô.

Um motorista desgasta a bandeja mais rápido se chocar o carro com o solo ao trafegar direto para subidas, descidas ou quebra-molas. O excesso de buracos na pista também é uma causa do desgaste.

Quando trocar a bandeja de suspensão?

Verifique a bandeja de suspensão em cada 10 mil quilômetros rodados ou 6 meses. Alguns sinais demonstram a necessidade de verificar:

  • Barulhos na suspensão ao trafegar em solos irregulares;
  • Buchas com muita folga;
  • Carro que puxa muito para o lado na frenagem;
  • Desgaste irregular dos pneus;
  • Direção desalinhada;
  • Empenamento na bandeja;
  • Instabilidade no comando da direção;
  • Sensação de uma batida seca ao passar por um buraco na pista.

Ao notar qualquer um dos sintomas acima é indicado levar o automóvel para a avaliação, no mecânico especialista de confiança.

A averiguação do item é indispensável. Um mínimo problema compromete a segurança e o controle dos comandos na direção.

Como o mecânico avalia a bandeja de suspensão?

Em primeiro lugar, o mecânico analisa os níveis de folga no pivô. Depois há uma avaliação para saber se as buchas da bandeja estão muito folgadas.

Na sequência é necessário observar para saber se a bandeja está trincada, amassada ou empenada.

Dependendo do problema ou da qualidade na bandeja, os mecânicos podem trocar só as buchas. Isso garante uma certa economia ao proprietário em dinheiro.

Após trocar a bandeja, os apertos finais devem ocorrer com o automóvel no chão. O vídeo abaixo mostra um pouco mais sobre as buchas de suspensão:

O que acontece se há defeitos na bandeja de suspensão?

Um problema grave na bandeja interrompe o sistema de suspensão. Na sequência há desligamento do sistema de direção, o que compromete a estabilidade no controle veicular.

Se a bandeja está muito danificada pode se desprender do veículo e gerar acidentes sérios.

Outras consequências estão no desgaste irregular de pneus e dos outros componentes da suspensão, o que antecipa a exigência de manutenção corretiva.

Os prejuízos gerados por defeitos na bandeja mostram como é essencial manter essa peça sempre em perfeito estado.

Qual é o preço?

As bandejas de suspensão têm tamanhos, formatos e preços diferentes que variam conforme o modelo de carro, a qualidade do produto ou a característica do mercado de reposição (aftermarket).

Qual a melhor marca de bandeja de suspensão?

Sampel é a melhor marca de bandeja de suspensão. A organização está presente em todo o Brasil e vende para mais de 34 países.

A Sampel é uma empresa brasileira inovadora com as certificações ISO 9001 e IATF 16949, que comprovam a alta qualidade de produção reconhecida mundialmente, dos produtos de metal / borracha.

Legal saber para que serve a bandeja da suspensão, certo? Fique de olho no site e descubra outras novidades sobre peças automotivas.

|Qual a importância da coifa da Junta Homocinética?

Um veículo é um sistema complexo, que depende do bom funcionamento de vários componentes. Entre a infinidade de peças fundamentais para o seu correto desempenho, alguns itens secundários desempenham um importante papel na proteção de muitos dos itens essenciais para o controle e a segurança do carro, como a coifa do amortecedor.

Vamos destacar, aqui, a coifa protetora, responsável por prevenir o desgaste avançado de juntas, amortecedores, pivôs, terminais de direção e afins.

De uma maneira geral, trata-se de um componente que funciona como uma manta, protegendo peças que são vulneráveis à contaminação. Tratando-se de mecânica, consideramos qualquer agente externo como uma impureza em potencial, a exemplo de areia, água, poeira, detritos metálicos, lama e afins.

Por conta disso, o papel dela é garantir a operação dos componentes que ela protege, evitando o acesso de partículas que possam acelerar o desgaste ou prejudicar o funcionamento do veículo. Sendo uma peça de caráter protetivo, ela acaba sendo encontrada em vários pontos do automóvel, havendo coifas protetoras para pivôs, amortecedores, juntas homocinéticas e caixa de direção.

|Bucha hidráulica da suspensão

A bucha hidráulica da bandeja contém fluido para absorver os impactos das vibrações da suspensão para o dentro do veículo.
A Sampel conta um amplo portfólio de buchas hidráulicas para veículos de diversas marcas conforme as especificações técnicas de cada uma delas.

Nosso robusto parque fabril com tecnologia e profissionais treinados para assegurar a qualidade de cada produto.

As Buchas Hidráulicas amortecem as vibrações dos veículos nas pistas.
Com um design compacto, elas conectam a carroceria, a suspensão e os braços articulados do veículo.
Elas possuem um amortecedor para suportar as vibrações nas estradas.
As buchas tradicionais possuem uma mola de borracha com um componente de borracha com a função de amortecimento.
As buchas hidro contêm um canal de fluido para amortecimento hidráulico.
Esse fluido se ajusta à bucha, conforme as trepidações da estrada.
O material das buchas precisa ser não corrosivo, como é o caso do alumínio.

Montagens de chassi

Os suportes do chassi são peças pequenas que garantem a segurança do veículo e reduzem os impactos na estrada, bem como as vibrações.

Esses importantes componentes também auxiliam a absorver o impacto de cargas do veículo.

As buchas devem estar sempre ajudadas de acordo com o sistema de suspensão.

Pequenas vibrações já geram uma experiência desconfortável, as fortes vibrações podem ser um risco ao motorista e passageiros, comprometendo a segurança.

Para andar com tranquilidade e sem vibrações, os veículos possuem uma série de suportes de chassi para os braços de controle transversais, chassis auxiliares, amortecedores de suspensão e estabilizadores.

A Sampel possui um vasto portfólio com componentes que se encaixam perfeitamente no seu tipo de veículo.